quinta-feira, 2 de junho de 2016

O QUE É E QUAL A DIFERENÇA ENTRE CANAL, MÉDIUM E VASO DIVINO

                    Qual a diferença entre ser um vaso, um canal e um médium? Pode-se ser os 3, mas vamos diferenciar o que é cada um. Boddhisatva Kwan Yin é uma essência divina que poderá adentrar o perispírito de uma pessoa e iluminá-lo (o que não envolve nenhum fenômeno fantástico, salvo da luz dela começar a habitar as células da pessoa e cabe ao livre arbítrio desta atuar com esta luz no mundo que vive) e isso é ser um vaso. É um fenômeno permanente. Após uma fusão de essências (da pessoa + o ser de luz) surge uma nova essência resultante destas que habitará para sempre aquele espírito. Eu sou um vaso de Kwan Yin, mas também sou a Gabi. Conheço vários vasos de muitos seres de luz e são pessoas, assim como eu, bem comuns. Para ser um vaso, vc precisa entregar seu ser totalmente em oferenda e isso normalmente é feito por várias encarnações. Basta uma para a primeira fusão acontecer. Isso é Pusa, uma jóia, pois através das fusões vamos evoluindo e ajudando os seres. Um canal é alguém que entra em sintonia com um ser e transmite sua energia e sua luz sem entrar em fusão, como uma antena. Um vaso de um ser pode ser o canal de outros tantos seres, pois quando canalizamos usamos apenas o aparelho do nosso corpo elétro-magnético, mas nossa essências não é tocada. O médium ou cavalo, é uma pessoa que sede temporariamente seu corpo físico para que outro espírito possa se manifestar, podendo esta incorporação ser plena, ao lado por contato de energia, ou de chakras, onde o espirito que vai atuar fica conectado atrás do médium. Muitas pessoas são os 3, tendo em vista que são coisas diferentes. Um vaso, pode canalizar um ser entrando na sua sintonia, mesmo que este esteja longe (inclusive sintonizar uma pessoa encarnada), pode dar passagem para um agente ou guia e ainda sim se manter um vaso. O termo vaso veio do Induismo, que diz que somente quando nosso ser esta vazio do ego, uma essência divina poderá preenche-lo. Talvez porque para os orientais pareça simples e óbvio não tenham escrito que a personalidade da pessoa vaso sofre pouquíssimas alterações perspetiveis pelos de fora, salvo quando o vaso resolve mudar seu comportamento, uma decisão muito mais racional que natural da fusão. A maioria dos vasos que conheço mudaram muito pouco, embora se note mais luz, mais paz e outras energias. Mas continuam tendo dor de cabeça, dias ruins, e coisas do gênero se continuam a viver socialmente da mesma forma de antes.
No meu caso tive uma mudança radica de paladar (como acontece com as gravidas), de humor, mas não de senso de humor, de leveza interna, mas sem adotar uma postura de mestre zen, que estou longe de ser e querer ser. Uma amiga minha vaso da Deusa Nuth se tornou mais bonita, profunda e com uma aura de infinito, mas comendo cachorro quente e conversando não se nota e uma outra que está entrando no processo de fusão (que já constatei não ser nada agradável a limpeza que os guias fazem) com a deusa Afrodite está com um brilho de segurança feminina, nada languida como se imaginaria, mas poderosa mesmo, de quem sabe e conhece a relação entre os seres. Ah! Uma essência divina é algo imenso assim podemos ter a fusão de uma mesma essência com varias pessoas diferentes. Na Índia é muito comum vários vasos de Vishnu e na China de Awalokitesvara. Kwan Yin num de seus processos foi vaso de Awalokitesvara e por isso muitos a confundem com ele. O Dalai é um vaso dele encarnado e mesmo assim é um monge com sua personalidade própria, uma pessoa.
Espero ter ajudado vc a compreender mais sobre si e seus guias.
Para imagina um vaso apenas imagine açúcar se diluindo num copo com água, onde a água é o espirito, o copo o vaso e o açúcar a essência divina.
Beijos de Luz - Gabi - Sri da Lótus

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Sobre porque procurar o Lótus, o que é o que não é


Sabem, algo deve ser esclarecido sobre a Lótus. Muitos alunos que vão no curso atrás de mais uma técnica de cura para currículo, ou para seus consultórios ou porque curtem a fraternidade branca, ou ainda porque querem adorar Kwan Yin, acabam saindo, pois o Lótus não é nada disso. A adoração é uma forma de ilusão e ela se desmancha já no nível 1. 

O Lótus Sagrado é universalista, um conjunto de práticas voltadas para o auto-despertar da consciência a nível búdico, abertura do amor compassivo, visando a iluminação das pessoas não importando sua religião e cultura. O Foco não está em adorar Kwan Yin e chamá-la como Deusa ou santa quando precisamos, embora ela nos socorra sempre. O objetivo é que cada um se torne um ser de luz, um iluminado, pois melhor que um guru com milhões de devotos é milhões de iluminados a evoluir o planeta. O nível um envolve muitas técnicas de cura e auto-cura e transformação porque meditar se sentindo triste, doente ou carregado é muito ruim. São mais de 10 técnicas aprofundadas somente no nível 1, nos níveis sequentes aprendemos sobre guardiões do caminho iluminado, chakras, respiração, as faces de Kwan Yin, seus dons e muito mais, tudo voltado para o despertar do ser, pratica da caridade, consciência universal, canalização consciência, sintonia e uma jornada de luz que vai alem da ascensão, nos levando para fora da roda do carma nas dimensões superiores a oitava. Então se seu objetivo é evoluir e auxiliar os seres, se ao invés de seguir um ser de luz quer trabalhar com eles na obra universal então o Lótus é para você. Inicia no aprendizado do caminho do bodhiisatva e das técnicas e no nivel de Sensei, professor, o ensino amoroso do caminho de luz e as Lótus de cristal. Sinta o Lótus colocando agora as mãos no coração e pergunte se deve vir aprender conosco, se sentir amor e paz, seja bem vindo!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Dakini e Dakas

Dakinis

são semi deusas, guardiãs desencarnadas, que tem por função inspirar, testar e ajudar as pessoas no seu darma (caminho de evolução). Correspondem exatamente as Pombas Giras da umbanda brasileira, mas no oriente as pessoas não as veem com a conotação e o estereotipo pejorativo e degradativo que nós ocidentais lhes damos. No oriente eles as definem como voláteis e compreendem muito bem que elas não são boas ou más mas apenas atuam, inclusive lhe prejudicando se isso for necessário para sua evolução. Nas práticas da lótus descobrimos que são espíritos que tiveram alguma tristeza ou macula nos seus sentimentos e escolheram ajudar as pessoas em sua evolução até que elas próprias curem sua dor e evoluam. Nunca pensamos no que acontece com uma grande rainha ou qualquer mulher, ou até uma divindade ou grande guru quando desencarna ferida, traída ou infeliz. Não conseguem ficar nas dimensões mais elevadas. É incomodo como estar numa ilha do amor, sendo apenas você sozinho e triste. Estar na parte de baixo da roda das encarnações, entre aqueles que sofrem traz profundo conforto e a chance de se curar auxiliando os seres e ajudando a dar consciência de quão ruim foram seus atos para os demais. Dakis são as dançarinas do éter, movimentando todos os elementos. A Dakini tem '"uma mente brilhante sabedoria muito afiada que é intransigente, honesta, com um pouco de ira." ( Khandro Rinpoche ).


Daka - Guardião, guerreiro, exu como na umbanda. Alinha a energia e protege para que se possa evoluir. Assim como as dakinis podem ser humanos ou não humanos, sim, pois seres de outros planetas, elementais e devas podem ser dakinis ou dakas. 

Pawo ou daka no caminho

"Embora o termo Daka é raramente usado , Pawo é mais comumente empregado. Significa '' homem corajoso ' ' ou ' ' herói ' ' ou ' ' guerreiro espiritual '', e como Dakini pode referir-se a vida ou ser sobrenatural . Como é típico no budismo do guerreiro não é sobre a salvação individual , mas, como a Sabedoria Dakini, o Pawo tântrico está comprometido com o ideal Bodhisattwa de libertar todos os seres.
'' O guerreiro, fundamentalmente , é alguém que não tem medo de espaço. ''
( Chogyam Trungpa )
Chamamos as dakinis e dakas para nos auxiliarem a evoluir, para ter proteção na vida e nas práticas meditativas, para as coisas entrarem em movimento, Para evitar ataques espirituais, desmanchar magias e remover obsessores.
Dakinis e dakas podem ser iluminados ou não. Como qualquer guia ou pessoa.
Suas oferendas são o arroz, a água pura, frutas, flores, incensos e danças.
Yasoha, novembro de 2015.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

PROTETORES DO DARMA, DA LOTUS, DA SUA VIDA

Rakshasas - homens tigre, Asuras, Nagas (ou reptilianos) e devas - anjos ou demônios? 
Figuras dos Vedas do Mahabarata e da sutra do Lótus. - Apenas povos da antiguidade que mal interpretadas viam o mal onde não havia. Ora invasores ora invadidos tendo confundidas as suas faces com animais, apenas por rostos mais ronchunchudos ou mais peludos. As agruras de guerras se tornam mitos. E ao longo de muitas vidas estes guerreiros se tornaram guardiões sagrados de pessoas e dimensões e estão longe de serem demônios, são sim amparadores a serviço da evolução.
Hoje na Lótus Sagrada Rakshas ou Protetores são todos aqueles: de índios a extraterrestres que se dedicam a guardar e proteger o trabalho e os seres que atuam em prol do bem maior evolutivo, sem tendencias religiosas, políticas, de crenças ou raças.

Leia o texto abaixo, um simples resumo.

"Budista Mahayana literatura [editar]
Capítulo 26 da Lotus Sutra inclui um diálogo entre o Buda e um grupo de filhas Rakshasa, que juram defender e proteger o Lotus Sutra. Eles também ensinam mágicas dharanis para proteger seguidores que também defendem o sutra. [5] Em The Lotus-Nascido: A História da vida de Padmasambhava, gravada por Yeshe Tsogyal, Padmasambhava recebe o apelido de "Rakshasa Demon" durante uma de suas conquistas iradas para subjugar budistas hereges.
Na tradição japonesa Rakshasas são conhecidos como Rasetsu (羅刹)."
BY: https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=https://en.wikipedia.org/wiki/Rakshasa&prev=search

Em todas as práticas espirituais que aceitam a figura de guardiões eles são vistos de todas as maneiras. A viés espírita é a que mais se aproxima da realidade, embora limitada. Assim, protetores e guardiões assim como médicos espirituais são todos os seres das muitas dimensões que atuam na proteção de pessoas e para isso treinaram, vivenciaram em vida. Não importando em que dimensão foi esta vida. 

Para termos uma visão melhor do problema de interpretação que tivemos ao longo da história, Ashtaram foi um demônio bíblico e hoje Ashtar Sheram é um general do Conselho da nossa Galáxia. Se partirmos do princípio de que demônios são nossos agressores e protetores o nosso exercito, mas jamais temos real noção de quem realmente está certo e de que toda violência é sempre errada. Então não existem anjos ou demônios no sentido de bem ou mal, mas sim guerreiros, policiais, protetores, uns com seu carma de dor e até loucura, mais densos, outros com sua alma horada e leve, mas todos, todos, não importando sua vida ou origem atuam na obra maior. Cada um da sua dimensão. E atribuirmos a eles, até aos mais densos, a responsabilidade por nossos atos é mentir para si e para o mundo, pois eles tem sim livre arbítrio. Afinal todo ser consciente ou senciente, de qualquer natureza sempre terá escolha. 

Se você anda com seres que chamamos de transversos, ou seja, suas histórias pessoas lhes tiraram a luz da razão, então você deve pensar onde está a sua razão. São ou insanos, protetores ou cruéis qualquer ser sempre poderá ser uma coisa ou outra e até ambas, como uma mãe que após a morte violenta de seu filho perde o tino e de guardiã passa a feroz assassina. Como você, como eu, podemos ser sensíveis ou insensíveis e ainda nos sensibilizar com algumas coisas e não com outras. 

Na Lótus 4 recebemos a sintonia com as dimensões de guardiões e aqueles que tem alma de guardião se revelam. Assim passamos a ser veículo de proteção e cura energética para que estes seres maravilhosos dedicados a manter a ordem para evolução possam atuar para todos!



sexta-feira, 9 de outubro de 2015

RETIRO 2015 OUTUBRO



“Para todos que tem a partir de Lótus 1”

Primeiro dia
Sex 30/10: 19:00 - Abertura – iniciação e Pratica de Lorde Shiva para queima do carma e força de transformação.
Sábado 31/10
Sáb 31/10: 8:00 – Pratica do terceiro selo – sol da consciência.
8:30 Iniciação e Pratica de Ekazatiremovendo os venenos internos.
10:00 – intervalo
10:20 – Iniciação e Pratica de Vajrapani (com tambores) – ancorando os guardiões e cortando fios e sondas de densidade
12:00 – almoço
13:30 – Iniciação e Pratica de Yama – encaminhando dividas cármicas e passando pelos bardos em vida.
15:30 – Internvalo
Subida a cascata – Pratica de purificação da Kwan Yin da Cachoeira.
19:40 – Pratica e Iniciação a Agni com fogueira – transmutação da alma.
20:30 – lazer.
Domingo 1/11
8:00 - Pratica do sol e Chi kung 33 faces
9:00 – Iniciação e Pratica de Vajrasatva para purificação dos 7 corpos.
10:30 – intervalo.
10:50 – Pratica de Vajrasatva para família.
12:00 – almoço.
13:30 – Abertura do Portal dos Devas e iniciação na Grande árvore.
15:30 – Intervalo
16:00 – Iniciação ao Lótus 5 – Deuses Naturais e Prática da cura da matéria.
19:00 – livre
Segunda 2/11
8:00 Pratica do sol e Chi kung 33 faces
9:00 – Prática da abundancia e compaixão de Kwan Yin e Maitreya
10:30 – Intervalo
11:00 – Pratica longa de Lótus e encerramento.

Valor: direto com a Ecovila hospedagem  - contatar.
Estrada Geral do Rio dos Bugres, km 8,5 - Urubici - Serra Catarinense
ecovilaflorescer@gmail.com
http://www.florescer.eco.br/
(49) 8427.1310 (whatsapp) | (49) 8427.7493